Seminário Internacional Biolutas e Produção do Comum

O SEMINÁRIO SE PROPÕE A SER UM EVENTO DE DISCUSSÃO PÚBLICA DE TEMAS RELACIONADOS COM O ATUAL CENÁRIO POLÍTICO E SOCIAL GLOBAL, COM FOCO NO BRASIL E NO PAPEL DA CULTURA E COMUNICAÇÃO TANTO NAS LUTAS QUANTO NAS NOVAS FORMAS DE EXPLORAÇÃO. PARA TAL, O EVENTO ESTÁ ORGANIZADO DE FORMA A TER BASTANTE TEMPO DE DISCUSSÃO ABERTA, ASSIM COMO UMA DE SUAS PROPOSTAS É A PRODUÇÃO DE UMA PUBLICAÇÃO COM BASE NOS DEBATES REALIZADOS DURANTE O SEMINÁRIO COM O DESEJO DE SEMEAR/MULTIPLICAR O CAMPO DE POSSIBILIDADES DE PESQUISAS E LUTAS. OS PARTICIPANTES CONVIDADOS TERÃO 20 MINUTOS DE FALA E DEPOIS O MICROFONE SERÁ ABERTO.

http://uninomade.net/seminariobiolutas/

AUDITÓRIO PRINCIPAL DA CASA DE RUI BARBOSA
28 DE AGOSTO DAS 9:30H ÀS 17H
Rua São Clemente, 134, próximo à estação Botafogo do Metrô – Rio de Janeiro.

PROGRAMAÇÃO

9:30H – FALA DE ABERTURA “O LEVANTE DA MULTIDÃO E AS NOVAS FORMAS DE CAPTURA”
GIUSEPPE COCCO – UNIVERSIDADE NÔMADE

1ª RODADA DAS 10H ÀS 13H – LUTAS, RUAS E REDES: AS MANIFESTAÇÕES EM FOCO.
As manifestações políticas para além das palavras de ordem. O papel da comunicação, cultura e redes nas lutas de tipo novo (biolutas) e nas recentes manifestações. As relações de força que atravessam as redes e as ruas, tanto em relação as lutas como por parte da repressão – violência policial, vigilância e criminalização do movimento.
Com os convidados:

HENRIQUE ANTOUN – PROFESSOR DA ECO-UFRJ

ANDRÉ BARROS – MEMBRO DA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA OAB/RJ E ADVOGADO DA MARCHA DA MACONHA

PEDRO VICTOR BRANDÃO – ARTISTA E FOTÓGRAFO

PABLO DE SOTO – HACKTIVISTA E PARTICIPANTE DO 15M ESPANHOL

2ª RODADA DAS 14H ÀS 17H – CRIATIVIDADE, ECONOMIA E CONFLITO: ENTRE O BANCO IMOBILIÁRIO GLOBAL E A METRÓPOLE DA MULTIDÃO.
As novas tensões e conflitos, atravessadas pela criatividade, na produção das cidades. Capitalismo Cognitivo, precarização e gentrificação. Políticas culturais, produção do comum e parasitismo.
Com os convidados:

MATTEO PASQUINELLI – CONVIDADO INTERNACIONAL DA UNIVERSIDADE NÔMADE ITALIANA

BÁRBARA SZANIECKI – ESDI-UERJ E UNIVERSIDADE NÔMADE BRASIL

MIGUEL SAID – DOUTORANDO NA USP E ATIVISTA NA ÁREA DE COMUNS DO CONHECIMENTO

BRUNO TARIN – DOUTORANDO NA ECO-UFRJ E UNIVERSIDADE NÔMADE BRASIL

REALIZAÇÃO
Giuseppe Cocco, Bárbara Szaniecki e Bruno Tarin
Linha de pesquisa: “Economia da Comunicação e da Cultura: a comunicação e a cultura como elementos estruturantes de novos modos de produção” do Laboratório Território e Comunicação – LABTeC

APOIO
Rede Universidade Nômade Brasil

Fundação Casa de Rui Barbosa

Pós-Graduação ECO-UFRJ

MINIBIO DOS CONVIDADOS

ANDRÉ BARROS

Aos 6 anos saiu do Brasil com a família banida na Ditadura Militar. É criminalista, advogado da Marcha da Maconha, mestre em Ciência Penal, membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ e do Instituto dos Advogados Brasileiros.

BARBARA SZANIECKI

Possui graduação em Graduação em Comunicação Visual pela École Nationale Supérieure des Arts Décoratifs (1994), Mestrado (2005) e Doutorado (2010) em Design pela Pontificia Universidade Catolica. Tem ampla experiência prática na área de Desenho Gráfico (Design). Atualmente é co-editora das revistas Lugar Comum (estudos de mídia, comunicação e cultura), Global/Brasil e Multitudes. Sua pesquisa tem ênfase nas relações entre Desenho Gráfico (em particular do cartaz) e conceitos políticos como: multidão, poder e potência, manifestação e representação. No momento, desenvolve pesquisa de pós-doutorado intitulada “tecnologias digitais e autenticidade: o estatuto da imagem fotográfica na linguagem visual contemporânea” na Escola Superior de Desenho Industrial da UERJ. É autora do livro Estética da Multidão.

BRUNO TARIN

Atualmente é doutorando da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro na linha de pesquisa Tecnologias da Comunicação e Estéticas com o apoio do CNPq e pesquisador do Laboratório Território e Comunicação (LABTEC – UFRJ). Organizador do Livro ” Copyfight: Pirataria & Cultura Livre” sobre o exercício da criatividade e a propriedade intelectual na contemporaneidade e também editor das revistas Lugar Comum e Global Brasil. É Mestre em Comunicação pela UFRJ, Bacharel em Relações Internacionais no Centro Universitário da Cidade – RJ, cursou parcialmente Ciências Sociais na UFRJ e realizou o curso de formação do Centro de Informações da Nações Unidas no Brasil. Tem experiência nas áreas de Comunicação, Antropologia, Produção Cultural, Gestão Pública de projetos de Cultura Digital e Artes com ênfase em Artes do Vídeo. Concluiu curso de edição e linguagem cinematográfica pelo CIDAN, especialista em Manutenção de Computadores (Hardware) e em Softwares Livres aplicados a produção Multimídia. Foi membro de uma Cooperação Nacional entre diversas instituições acadêmicas sobre Democracia em Rede e Governo Digital, tendo realizado em 2012 uma consultoria para o Governo do Rio Grande do Sul sobre Democracia em Rede. Atuou como Coordenador de uma pesquisa sobre Cartografias Afetivas. Foi Consultor do PNUD para o Ministério da Cultura em Sistematização de Políticas Públicas de Cultura Digital e Facilitador Regional RJ da II Conferência Nacional de Cultura. Bolsista do CNPq modalidade EXP, nível B4 pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação como Pesquisador e Articulador da Ação Cultura Digital. Coordenador de Audiovisual do Ponto de Cultura Circo Voador, Articulador/Produtor do Pontão de Cultura Digital Circo Voador. Curador/Produtor dos eventos ligado as artes eletrônicas DorkbotRIO e Seres Operando Matéria. Coordenador Nacional de Audiovisual da Ação Griô do Programa Cultura Viva e Pesquisador e Implementador de Cultura Digital pelo Instituto de Pesquisa em Tecnologia e Inovação (IPTI). Idealizador e Fundador do Instituto de Pesquisa i-Motirõ: Novo Mutirão Aproximando Teorias e Práticas das Culturas Analógicas e Digitais, dedicado a realizar ações que enfrentem a desigualdade no acesso às novas mídias e às tecnologias sociais, buscando estimular a formação de redes de colaboração e cooperação, a pluralidade cultural, a apropriação tecnológica, o conhecimento aberto e uma relação harmoniosa no meio ambiente de forma divertida e prazerosa. Membro da Rede Universidade Nômade e colabora com diversas redes Ciber/Midiativistas. Participa ativamente dos debates relacionados com a propriedade intelectual e a economia criativa, a produção do comum e de políticas públicas de cultura – especialmente em relação com o digital.

GIUSEPPE COCCO

Possui graduação em Sciences Politiques – Universite de Paris VIII (1984), graduação em Scienze Politiche – Università degli Studi di Padova (1981), mestrado em Science Technologie et Société – Conservatoire National des Arts et Métiers (1988), mestrado em História Social – Université de Paris I (Panthéon-Sorbonne) (1986) e doutorado em História Social – Université de Paris I (Panthéon-Sorbonne) (1993). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro, membro da Pós-Graduação da Escola de Comunicação e do Programa em Ciência de Informação (Facc-Ibict), Pesquisador 1 do CNPq, Cientista do Nosso Estado (Faperj), é editor das revistas – Global Brasil, – Lugar comum (1415-8604) e – Multitudes (Paris) (0292-0107). Coordena as coleções <<espaços do=”” desenvolvimento=””>> (ed. DP&A) e << A Política no Império>> (Civilização Brasileira). Tem experiência na área de Planejamento Urbano e Regional, com ênfase em Política Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: trabalho, comunicação, globalização, cidade, fordismo e cidadania.Publicou com Antonio Negri o livro GlobAL: Biopoder e lutas em uma América Latina globalizada, (Record:2005). O último livro publicado é MundoBRaz: o devir Brasil do mundo e o devir mundo do Brasil (Record, 2009).

HENRIQUE ANTOUN

Possui graduação em Desenho Industrial pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1977), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1989), doutorado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993), doutorado Sanduíche em Sociologia da Comunicação pela Universite de Paris V (Renée Descartes) (1992) e pós-doutorado no McLuhan Program in Culture and Technology da Universidade de Toronto (2006). Atualmente é professor associado 3 da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi diretor do departamento de Fundamentos da Comunicação da Escola de Comunicação entre 2008 e 2012 e coordenador adjunto do Programa de Pós-Graduação de Comunicação da UFRJ entre 2008 e 2010. Foi Secretário Executivo da ABCIBER – Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura – de 2007 a 2009, membro do seu Conselho Fiscal de 2009 a 2011 e é membro do seu Conselho Científico Deliberativo desde 2011. Foi coordenador do grupo de trabalho “Comunicação e Cibercultura” da COMPÓS – Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Comunicação – de 2007 a 2009. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teoria da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: cibercultura, comunicação, politica e ética. Publicou 24 artigos em periódicos especializados e 41 trabalhos em anais de eventos. Possui 1 livro, 12 capítulos de livros publicados, 1 prefácio e 1 posfácio. Publicou 9 artigos em Jornais de Notícias e 2 artigos em revistas. Apresentou 113 trabalhos sobretudo em Seminários e Conferências. Possui 60 itens de produção técnica. Fez 5 relatórios de pesquisa. Supervisionou 1 trabalho de pós-doutorado. Orientou 27 dissertações de mestrado e co-orientou 1, orientou 7 teses de doutorado, além de ter orientado 10 trabalhos de iniciação científica e 16 trabalhos de conclusão de curso nas áreas de Comunicação e Design. Recebeu 5 prêmios e/ou homenagens. Entre 1998 e 2004 participou de 6 projetos de pesquisa, sendo que coordenou 4 destes. Desde 2007 coordena projetos de pesquisa com bolsa PQ2 do CNPq. Atualmente coordena o CIBERCULT – laboratório de comunicação distribuída e transformação política na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

MATTEO PASQUINELLI

Is a writer and academic researcher. He completed his doctorate at Queen Mary University of London with a thesis on the new forms of conflict within knowledge economy and cognitive capitalism. He wrote the book Animal Spirits: A Bestiary of the Commons (2008) and edited the collections Media Activism (2002) and C’Lick Me: A Netporn Studies Reader (2007). He writes and lectures frequently at the intersection of Italian operaismo and French philosophy, media theory and life sciences. Together with Wietske Maas he wrote the Manifesto of Urban Cannibalism and currently develops the art project Urbanibalism. He was a member of the international collective Uninomade. In 2011 he was part of the jury of Transmediale festival in Berlin, where he was also the initiator of the Lebensformen reading group. In 2008 he organised the series of seminars The Art of Rent at Queen Mary University of London and the research network The Factory of the Common. In 2005, together with Katrien Jacobs and the Institute of Network Cultures, he organised the Art and Politics of Netporn conference in Amsterdam.

MIGUEL SAID VIEIRA

Possui graduação em Comunicação Social (Editoração) pela Universidade de São Paulo (2003); graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2006); especialização em Gestão da Propriedade Intelectual pelo convênio Universidad Bolivariana de Venezuela, Servicio Autónomo de Propiedad Intelectual e Oficina Cubana de la Propiedad Industrial (2008). Cursando doutorado em Filosofia da Educação, na Universidade de São Paulo. Principais interesses de pesquisa: bens comuns, acesso ao conhecimento, direitos autorais, propriedade intelectual, produção colaborativa e mercantilização.

PABLO DE SOTO

Possui mestrado en Arquitectura – Royal Institute of Technology Sweden (2007). De 2002 a 2011 fue fundador y uno de los tres socios de hackitectura.net, un equipo de arquitectos, programadores y artistas pionero en los territorios emergentes en que se encuentran la arquitectura, los flujos electrónicos y las redes sociales. Creadores de Fadaiat y Wikiplaza Paris, sus trabajos se ha expuesto en multiples museos y centros de arte entre los que destacan el ZKM. Como artista visual ha participado en Sonar, Readme o LEV. Ha impartido conferencias y talleres en Francia, Croacia, Letonia, Alemania, Italia, Reino Unido, Eslovenia, Holanda, Dinamarca, Noruega, Marruecos, Portugal, Suiza, Suecia, Grecia, Egipto, Brasil, Colombia y Japón.

PEDRO VICTOR BRANDÃO

Artista visual e fotógrafo. Desenvolve imagens, performances e textos sobre percepção crítica-visual desde 2003. Formado na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (em cursos livres de 2005 a 2009 e no programa Aprofundamento, em 2010). Em 2009, graduou-se em Fotografia pela Universidade Estácio de Sá. Desde 2005 desenvolve trabalhos autorais que versam sobre ressignificações da imagem fotográfica hoje. Em 2011 faz sua primeira exposição individual dentro do projeto Ocupação Cofre, na Casa França-Brasil, com a série Pintura Antifurto. Entre as exposições coletivas que participou destacam-se Novíssimos (Galeria IBEU/ 2012 – Rio de Janeiro); Novas Aquisições 2010/ 2012 (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro/ 2012); Sem Título #1 – Experiências de Pós-Morte (Galeria Oscar Cruz/ 2011 – São Paulo); Abotoados pela Manga (galpão da Ilustre/ 2010 – São Paulo) e Por aqui, formas tornaram-se atitudes (SESC Vila Mariana/ 2010 – São Paulo). Em 2008, ganhou o 3º Prêmio do 1º Salão de Artes Visuais de Petrópolis e em 2010, é premiado no XI Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia, com o projeto O Transitório Fóssil. Seus trabalhos integram coleções públicas e particulares.


Mostrar
Ocultar