Gilets Jaunes, ato VIII: manifestações dispersas e ataques em locais estratégicos

Publicado originalmente em Infoaut – Trad. Uninômade.

A mobilização dos gilets jaunes retorna à estratégia pulverizada: manifestações em toda a França e ataques em pontos estratégicos.

Uma resposta determinada e que confirma a combatividade dos gilets neste 2019. Ela parte, também, da consciência de que a relação de força com o governo dura enquanto dura a capacidade de mobilização e o funcionamento das estruturas de base: piquetes e assembleias. Um problema bem exemplificado na coletiva de imprensa de ontem, conduzida pelo porta-voz do governo Benjamin Griveuax, que tentou desqualificar o protesto declarando: “o que resta dos gilets jaunes está nas mãos de agitadores que desejam derrubar o governo”.  Um desafio ao movimento que, de fato, nunca recuou da promessa de conseguir a renúncia de Macron, e sabe que, para levá-la até o final, deve crescer, articular-se e, sobretudo, não se deixar envelopar.

A esta exigência respondem os vários apelos sobre a forma de ocupar as ruas das principais cidades da França no dia de hoje: ficar em zonas delimitadas mas com alta mobilidade; não marcar pontos de encontros facilmente cercados pela polícia; estabelecer horários precisos de encontro, com pouca antecedência e respeitando uma pontualidade extrema; vestir o colete apenas no início da manifestação para evitar uma individualização antecipada; filmar e difundir as ações policiais.

Os gilets reatualizam continuamente a tática sabendo que é através dela que se desenvolverá a persistência estratégica do movimento, a sua capacidade de durar. É bem verdade, durante as festividades de final de ano não faltaram manifestações. Vários atos significativos aconteceram mesmo na noite de ano novo, com duros enfrentamentos, em especial, em Bordeaux. No dia 02 de janeiro, nas primeiras horas do amanhecer, cerca de uma centena de gilets jaunes bloquearam o terminal petrolífero de Rubis di Grand-Quevilly, que fica nas proximidades de Rouen e abastece toda a alta Normandia. Ontem, duas centenas bloquearam o terminal da Esso e Total, em Toulouse, tendo a polícia reagido com cinco prisões. Também ontem, um hub da Amazon foi cercado e bloqueado por uma centena de gilets jaunes, desencadeando confrontos com a polícia que, mesmo sob uma chuva de pedras, conseguiu dispersar os piquetes.

Hoje [dia 05 de janeiro de 2019], as áreas estratégicas representaram um alvo importante: um relevante protesto conseguiu alcançar o aeroporto de Paris Beauvais, sendo recebido no local pelos lacrimogêneos da CRS. Durante amanhã, um bloqueio também na estação marítima de Saint-Malo. Uma ocupação nas linhas de trem de Sedan provocou diversos atrasos na linha do TGV. Em Quimper, Bretanha, uma carreata saiu das rotatórias ocupadas (ronds-points) na direção da zona comercial de Gourvily. Foram registrados protestos, com alguns milhares de manifestantes, a Rouen, Bordeaux, Lyon, Grenoble, Brest, Tours e Marselha.

Em Dijon, a tropa de choque atacou o protesto na altura do Boulevard Maréchal Joffre, onde, por diversas vezes, os manifestantes conseguiram afastar os policiais que realizavam agressões pelas laterais do ato. Em Rennes, os manifestantes tencionam os acessos ao município. Em Caen, ocorreram fortes enfrentamentos com lançamento de bombas de lacrimogêneo. Mais de mil pessoas no protesto de Nantes, com linhas de frente formadas só por mulheres, que também resistiam ao lacrimogêneo lançado pela política.

Após as primeiras tensões nas proximidades do Hotel de Ville, em Paris, um protesto que se torna cada vez mais numeroso está se deslocando, neste minuto, para a Assembleia Nacional. Na altura da Praça do Châtelet, ocorreram batalhas corpo a corpo e lançamento de pedras e garrafas na direção da polícia. Barricadas em chamas no Boulevard St. Germain. No início da manhã, diversos gilets jaunes se reuníram no Champs-Élysées. Encontros assembleares foram realizados na place de la République. Além disso, confirmando a persistência do movimento, um segundo encontro para a realização da Assembleia das Assembleias foi convocado para o dia 26 de janeiro em Commercy.    

 


Mostrar
Ocultar