Tenda

Quando o antagonismo é mais intenso

Por Murilo Duarte Costa Corrêa, UniNômade — — Em “A constituição do comum: antagonismo, produção de subjetividade e crise no capitalismo” (Revan, 2017), Alexandre Mendes e Bruno Cava inventam um dispensário político para nossos tempos. Se se quiser fazer justiça a […]

La red com ‘r’ minuscula y las reformas

NO TENEMOS NADA QUE AJUSTAR, SINO QUE TODO POR INVENTAR (PARTE II) LA RED CON “r” MINUSCULA Y LAS REFORMAS   Giuseppe Cocco (tradução Santiago de Arcos)   [Esta es la segunda parte del articulo que tiene como titulo general […]

Brechas democraticas: la consulta popular de los venezuelanos

    Por Aryadne Bittencourt y Fabricio Toledo de Souza (Traducción Santiago de Arcos) “No estudie para ser político, la política vino a golpear a mi puerta, estaba en mi plato, en mi vida”. Hay algo realmente importante aconteciendo cuando […]

Venezuela: êxodo e poder constituinte

Brechas Democráticas: a consulta popular dos venezuelanos Por Aryadne Bittencourt e Fabricio Toledo de Souza   “Não estudei pra ser político, mas a política bateu em minha porta, estava no meu prato, na minha vida”. Há algo realmente importante acontecendo […]

Junho sobrevive

Por Silvio Pedrosa, no Correio da Cidadania, 29/6 — — As interpretações mais generosas (1) de junho de 2013 vazadas nos esquemas explicativos da velha esquerda (esquemas explicativos hegemônicos na percepção política de toda a esquerda atualmente) consideram que junho […]

Desenhos olímpicos: da representação à contestação

Por Bárbara Szaniecki e Ana Helena da Fonseca — — Resenha de “Designing the Olympics: Representation, Participation, Contestation”, de Jilly Traganou (ed. Routledge, 2016). O livro de Jilly Traganou chegou em boa hora. Com o encerramento dos Jogos Olímpicos de […]

Cálculos de uma guerra outorgada

Por Inaê Diana Lieksa — — A realidade encontra-se contaminada. A cabeça encontra-se na mira de um drone. Um vírus traz a anunciação da morte, e, por sua vez, a experimentação de um viver doente. Torna-se ambíguo, imoral e encantador. […]

Nada a ajustar, tudo a ser inventado – parte 2

Por Giuseppe Cocco, Universidade Nômade | no IHU, junho de 2017 — Esta é a segunda parte do artigo que tem como título geral “Não temos nada a ajustar, mas tudo a inventar“. A primeira (Não temos nada a defender) […]

No tenemos nada que ajustar, todo por inventar!

Por Giuseppe Cocco, na UniNômade, em  | Trad. Santiago Arcos — — PARTE I NO TENEMOS NADA QUE DEFENDER El “voto crítico” fue un elemento estratégico de la restauración petista (mas en general, gobiernista) contra el levantamiento democrático de junio […]

Nada a ajustar, tudo a ser inventado

Por Giuseppe Cocco, Universidade Nômade | no IHU, maio de 2017 — Com esse pequeno artigo, estou me propondo a fazer um balanço do cenário político “depois de junho de 2013”. Serão duas partes: a primeira (que apresento aqui abaixo) […]

Página 6 de 67« Primeira...45678...Última »